Banner juvino publicidade

Esporte

Copa do Brasil 17/10/2018 23:07 Fonte: O Popular - Luigi Enrico

Com o hexa, Cruzeiro se torna maior campeão da Copa do Brasil

Equipe mineira conquista sexto troféu, que entra para a galeria ao lado das conquistas de 1993, 1996, 2000, 2003 e 2017

Com o título conquistado nesta quarta-feira (17), em cima do Corinthians após vitória por 2 a 1 em São Paulo, o Cruzeiro conquista o hexacampeonato da Copa do Brasil e se torna o clube com mais troféus da competição, ultrapassando o Grêmio, que detém cinco títulos.

Assim como o Corinthians, o primeiro título do Cruzeiro foi conquistado em cima do Grêmio, em 1993. À época, era apenas a quinta edição do campeonato e nenhum time de Minas Gerais havia sido campeão, nem mesmo chegado a uma final. O Cruzeiro, após boa campanha com um time equilibrado, contando com o atacante Roberto Gaúcho, se tornou o primeiro clube mineiro a ter o título da Copa do Brasil.

Apesar da empolgação com o primeiro título, o Cruzeiro não conseguiu chegar a uma final nos dois anos seguintes. Conseguiu voltar a uma decisão em 1996, em campanha em que passou pelo Corinthians em um duelo nas quartas de final. A decisão foi contra o Palmeiras de Luxemburgo, que contava com grandes craques como Cafu, Rivaldo, Luizão, Djalminha e Muller.

Contrariando todos que apostavam em uma fácil vitória do time paulista, a Raposa assegurou um empate por 1 a 1, no jogo de ida, no Mineirão, e fez o improvável no segundo jogo, ao vencer o Palmeiras por 2 a 1, no antigo Palestra Itália, com gols de Roberto Gaúcho, remanescente do primeiro título, Marcelo e Ramos. Pelo lado do Palmeiras, o gol foi do artilheiro Luizão.

Foi em 2000 que o Cruzeiro conquistou o tricampeonato da Copa do Brasil. O time passou com certa tranquilidade pelas fases decisivas, contando com grandes nomes em seu elenco como o argentino Sorín, o meio de campo Ricardinho, recordista de títulos com a camisa cruzeirense, e o goleador Oséas, artilheiro daquela edição do torneio, com 10 gols. Assim como a conquista anterior, a final foi contra um dos times mais fortes e badalados da época, o São Paulo de Levir Culpi. O tricolor paulista contava com o jovem Rogério Ceni no gol, além de Raí, campeão do mundo.

O Cruzeiro repetiu a história de segundo título e segurou um empate no primeiro jogo. No Morumbi, a partida terminou em 0 a 0. Já no Mineirão, o clube celeste venceu por 2 a 1, de virada, gols de Fábio Júnior e Geovanni. Marcelinho Paraíba marcou pelo lado tricolor. Foi a primeira vez que o Cruzeiro venceu de forma invicta a competição, além de alcançar o Grêmio à época, como maior vencedor da Copa do Brasil, cada um com três títulos.

Com a tríplice coroa naquela temporada, o Cruzeiro de 2003 ganhou de forma invicta e avassaladora a Copa do Brasil. O time contava com inúmeros jogadores de peso em campo como Gomes, Luisão, Maldonado e, principalmente, o meia Alex, que viveu seu auge com a camisa cruzeirense. Depois de passar tranquilamente pelas primeiras fases da competição, inclusive enfrentando o Vila Nova nas oitavas de final, jogo que ficou 4 a 1 no total, e pelo Goiás na semifinal, duelo que terminou 5 a 3 no agregado para o Cruzeiro, o time chegou à final contra o Flamengo.

No jogo de ida no Maracanã, tudo parecia ir muito bem. O Cruzeiro mantinha seu estilo de jogo imponente e ofensivo e logo marcou o primeiro gol com Alex. Contudo, sofreu o empate aos 49 do segundo tempo, gol de Fernando Baiano. Apesar do balde de água fria nos ânimos cruzeirenses, o time de Minas voltou mais animado para o jogo da volta, no qual passou por cima do Flamengo, marcando três gols em menos de 30 minutos, consagrando o tetracampeonato.

Foram longos 14 anos de espera para a torcida do Cruzeiro poder gritar "pentacampeão da Copa do Brasil". Durante esse tempo, a equipe amargou o vice, em 2014, ao cair diante do maior rival, o Atlético Mineiro, que conquistou pela primeira vez o título da competição. Somente em 2017, o Cruzeiro se igualou ao Grêmio em títulos da Copa do Brasil. Com um time semelhante ao deste ano, com o equilíbrio entre ataque e defesa como fundamento do time comandado por Mano Menezes, o Cruzeiro venceu os confrontos decisivos e chegou à final novamente contra o Flamengo.

Em clima de revanche para os rubro-negros, o jogo de ida no Maracanã foi intenso e terminou em 1 a 1, gols de Lucas Paquetá para o Flamengo e De Arrascaeta pelo Cruzeiro. No segundo jogo, no Mineirão, a tensão fez com que os times produzissem pouco e tornasse a partida muito truncada, o que fez com que a decisão fosse para as penalidades.

Diego errou o pênalti para o Flamengo, com a defesa do goleiro e ídolo do Cruzeiro Fábio. As cinco cobranças foram convertidas pelo lado cruzeirense, sendo a última por Thiago Neves, que escorregou na marca da cal, mas balançou as redes, garantindo o pentacampeonato para a equipe do Cruzeiro.


Veja também sobre Cruzeiro Corinthians
Cargando...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9842-96737

atendimento@planetafolha.com.br

2016 - 2018: Planeta Folha é uma publicação de Planeta Folha - ME. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização por escrita da direção, mesmo citando a fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato! ou fale diretamente com nossa redação - (Fale conosco pelo WhatsApp)
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo